Estrutura – Dica 5
19 de setembro de 2017
Dica 7 – Equipamentos
2 de outubro de 2017
Mostrar Tudo

O quadro de pessoal irá depender das perspectivas e expectativas do empreendedor. No entanto, têm que ser avaliadas as atividades que ofereçam condições básicas necessárias para realizar as operações de uma agência de turismo receptivo, tais como: recepção e telefonia, office boy, agente de viagem, assistente administrativo e limpeza.

Assim apresenta-se abaixo um quadro mínimo entendido como viável para o início das atividades:a) 1 pessoa para recepção e telefonia;b) 2 agentes de turismo, de preferência que tenham formação na área de turismo. Estas pessoas irão atender ao cliente e a comercialização dos produtos oferecidos pela agência de turismo;c) 2 assistentes administrativos financeiros, sendo que estas pessoas terão como atividade todo o processo administrativo e financeiro da empresa. Sendo tais atividades as relacionados ao controle financeiro da empresa, no que se refere ao controle de Contas a Receber (incluindo vendas via Cartão de Crédito), Faturamentos, controle de Contas a Pagar (incluindo repasses para as empresas aéreas e Operadoras de Turismo), atividades relacionados a preparação de documentação para área contábil, dentre outras de cunho administrativo e operacional da empresa;d) 1 pessoa para a área de higiene e limpeza de todo a empresa;e) 2 guias turísticos com formação específica e com domínio de outras línguas.

A presença do empresário no cotidiano da agência de turismo receptivo será fundamental para assegurar que todos os processos de tal empreendimento fluam com naturalidade e com extremo profissionalismo.

Outras qualificações necessárias são:• Apresentar boa aparência, desenvoltura, bom nível cultural;

Ressalta-se que o Guia de Turismo é o profissional que, devidamente cadastrado na EMBRATUR, acompanha pessoas ou grupos em viagens pelo Brasil ou exterior, mostrando atrativos turísticos, explicando a história, a geografia e a cultura dos povos e locais que visitam.

Ficam ainda sob sua responsabilidade os desembaraços aduaneiros de pessoas e bagagens em aeroportos, portos, estações rodoviárias ou ferroviárias, além da solução dos problemas que possam acontecer durante as viagens.

A categoria dos guias de turismo está dividida por atuação:• Guia Regional: É o que trabalha no receptivo, recebendo turistas que chegam de outros estados ou de outros países. Sua atuação é restrita ao estado para o qual está cadastrado;• Guia de Excursão Nacional: É o que recebe e leva turistas para conhecer o Brasil ou países da América do Sul;• Guia de Excursão Internacional: É o que recebe e leva turistas para conhecer outros países, fora da América do Sul;• Guia Especializado em Atrativos Naturais: É o que recebe e leva turistas para conhecer ecossistemas brasileiros, além de ser muito requisitado para passeios em trilhas, caminhadas e outras excursões de turismo aventura. Sua atuação dá- se no estado em que está cadastrado.

O empreendedor deve ser exigente na contratação do pessoal terceirizado. Além do conhecimento técnico, experiência na área, boa educação e prestatividade são qualidades indispensáveis aos profissionais envolvidos no atendimento. É fundamental formar um banco de talentos composto por profissionais confiáveis e versáteis. Normalmente, a agência funciona em horário comercial de 10h às 18h. Dependendo do movimento e da época do ano, pode ser necessária a ampliação do horário de atendimento. Esta expansão do negócio precisa ser planejada conforme o aumento da receita. O horário pode ser flexibilizado no caso de atendimento a viagens noturnas e no final de semana.

A qualificação de profissionais aumenta o comprometimento com a empresa, eleva o nível de retenção de funcionários, melhora a performance do negócio e diminui os custos trabalhistas com a rotatividade de pessoal. O treinamento dos colaboradores deve desenvolver as seguintes competências: • Capacidade de percepção para entender e atender as expectativas dos clientes;• Agilidade e presteza no atendimento;• Capacidade de apresentar e vender os produtos da empresa;• Fluência em mais de um idioma, de preferência inglês e espanhol.• Motivação para crescer juntamente com o negócio.

Deve-se estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores nessa área, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das relações trabalhistas, evitando, assim, consequências desagradáveis.

O empreendedor pode participar de seminários, congressos e cursos direcionados ao seu ramo de negócio, para manter-se atualizado e sintonizado às tendências do setor. O Sebrae da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o perfil do pessoal e treinamentos adequados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>