O que é turismo ?

O que é turismo ?

Em termos de conceito, o turismo pode ser definido como o conjunto de atividades que realizamos durante uma viagem. Ou seja, em um local diferente daquele que compõe o nosso entorno habitual. Na prática, isso pode significar até mesmo descobrir espaços da sua própria cidade que você normalmente não visitaria.

Na maior parte das vezes, trata-se de uma atividade de lazer, ainda que também possa estar vinculada a negócios. Em séculos passados, a ideia de viajar, estava intimamente ligada ao comércio, à busca por riquezas e ao desejo por expandir territórios.

Para as classes privilegiadas, a ida aos chamados centros, representava também descanso e cuidado com a saúde. Foi só a partir dos anos de 1950, no entanto, que o turismo se transformou em um verdadeiro fenômeno entre a classe média de países desenvolvidos.

Com o avanço da atividade, promovido pela evolução nos transportes e pelo crescimento econômico, os países em desenvolvimento também passaram a viver o sonho de viajar e conhecer o mundo.

Hoje, “fazer turismo” é descobrir novos lugares e o que eles têm a oferecer, conhecendo a cultura local e buscando experiências únicas, que não poderiam ser vivenciadas em outros destinos.

Os viajantes querem conforto, organização e também a possibilidade de viver, mesmo que por poucos dias, como um nativo. E é nesse cenário que se encaixa a figura do bacharel em Turismo – conhecido ainda como turismólogo.

Tipos de Turismo

Turismo cultural: Talvez um dos mais procurados e conhecidos, esse tipo de turismo é aquele que tem como foco, conhecer a história e a cultura de um lugar.

Aqui, o contato com os nativos e tudo aquilo que é particular da região visitada, são aspectos bem importantes.

Isso pode incluir desde o consumo da gastronomia típica, até a visita a museus, catedrais, monumentos e sítios arqueológicos, para citar apenas alguns exemplos.

Se você é o tipo de pessoa que não perde a chance de conhecer o centro histórico de uma cidade e sempre arruma um tempo para visitar o mercado público local, certamente, o turismo cultural tem tudo a ver com o seu tipo de viagem.

Turismo rural: Uma tendência crescente, o turismo rural valoriza a vida simples do campo e tudo o que ela pode oferecer.

É uma pausa na rotina agitada das cidades e também, para muitas pessoas, uma forma de voltar às origens.

Afinal de contas, quem é que não gosta de acordar com aquele cheirinho de café recém-coado ou do pão ainda quentinho?

Normalmente, esse tipo de turismo é acessado a partir de sítios ou fazendas que se especializaram em receber visitantes e em oferecer uma experiência típica, na qual o contato com a natureza e com os animais é muito valorizado.

Um das vantagens costuma ser a possibilidade de experimentar – e depois também levar para casa – produtos típicos da zona rural, produzidos em pequena escala e de forma artesanal.

Com isso, os visitantes ajudam a fortalecer a economia local e as famílias que dela dependem.

Turismo ecológico: Estar em contato íntimo com a natureza, ao mesmo tempo em que se pensa em sua preservação e equilíbrio.

Esse é o princípio básico do turismo ecológico, conhecido ainda como ecoturismo, que ressalta a importância e as belezas naturais, reforçando o ideal de conservação.

A ideia é interferir tão pouco quanto for possível no espaço observado, seja visitando cachoeiras, rios e lagos ou fazendo trilhas pela mata fechada.

No Brasil, essa é uma modalidade que tem crescido bastante, sobretudo a partir da ideia de sair do comum e descobrir novos pontos de turismo até então, pouco conhecidos pela maioria da população.

Alguns exemplos em alta, são o Jalapão, em Tocantins, e os Lençóis Maranhenses, no Maranhão.

Com paisagens deslumbrantes, ambos exigem dos turistas uma série de cuidados durante a visitação. Tudo com o objetivo de evitar prejuízos ao meio ambiente.

Turismo internacional: Sonho de cada vez mais pessoas, o turismo internacional traz em seu conceito a ideia de sair do país de origem, com destino a outro.

Se, antes, um de seus principais empecilhos era a dificuldade de acesso ao transporte aéreo, hoje, isso já é uma realidade.

Para os brasileiros, destinos como Argentina, Chile e Uruguai, no próprio continente sul-americano, ou Espanha, França, Portugal e Itália, na Europa, estão entre os preferidos.

Uma das principais diferenças, na maioria dos casos, é a necessidade de passaporte e até mesmo de visto, a exemplo do que ocorre para aqueles que desejam ir aos Estados Unidos, mesmo que seja para uma rápida visita a pontos turísticos, como a Disney.

O turismo em outros países é, sobretudo, uma chance de conhecer culturas e idiomas diferentes.

No caso da Europa, as opções se multiplicam, sobretudo pela facilidade de se deslocar de um país para o outro em pouco tempo, tanto de trem quanto de avião, a partir das chamadas companhias low cost.

Turismo sustentável: Confundido por muitos com o ecoturismo, o turismo sustentável é um conceito que pode ser aplicado a qualquer tipo de viagem.

A confusão costuma ocorrer justamente pela proximidade do ecoturismo com a ideia de preservação e de baixo impacto.

Fazer turismo de maneira sustentável é, nesse sentido, uma maneira de pensar como a presença do viajante impacta a realidade local, independentemente de qual seja o destino – mesmo os urbanos.

Ou seja, estamos falando de pensar em um consumo consciente, de valorizar o que é local e de não se esquecer de todos os princípios da sustentabilidade durante a viagem.

Afinal, não é porque o momento é de férias que os bons hábitos devam ser deixados de lado.

É atender, de maneira simultânea, as necessidades dos turistas e das comunidades receptoras, protegendo e ampliando as oportunidades para o futuro.

Ou seja, é pensar no gerenciamento de todos os recursos implicados na atividade turística, garantindo que as necessidades naturais, sociais, culturais e econômicas sejam mantidas em constante equilíbrio.

Turismo de massa: Sabe aquele período em que o verão chega e todo mundo só quer saber de férias ou de um final de semana de praia?

Não há definição melhor para entender o turismo de massa. Nesse caso, o resultado quase sempre é orla lotada e muito engarrafamento.

Esse também é um tipo de turismo bastante comum em locais que se tornaram conhecidos mundialmente e que costumam, muitas vezes, receber mais turistas do que poderiam suportar.

Para evitar a degradação de áreas naturais e mesmo a insatisfação de moradores locais com o fluxo contínuo e até mesmo predatório de visitantes, muitos desses lugares já têm adotado medidas contra esse modelo de visitação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Category

Latest Post

Newsletter

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.